Toda la Agricultura en Internet
[Portada] [Buscador]  Noticias Precios Agrícolas Cursos Instrumental Anuncios Clasificados Recomendar Infoagro

¿Dónde estoy? Portada DDOO e IIGGPP   Todas las denominaciones


Denominaciones de Origen e Indicaciones Geográficas protegidas

 
Productos de Portugal


Productos de España

Productos de Portugal

Productos de Italia

Productos de Alemania

Productos de Brasil



  DDOO e IIGGPP de Vino
¿Falta alguna denominación?
Envíenos la información y la incluimos
Puede enviarnos cualquier información que desee incluir o comunicarnos cualquier corrección a la dirección:



O a nuestras oficinas:
Infoagro Systems, S.L.
C/Capitán Haya, 60, 3º, 28020, Madrid, España
. Tel. +34 902 11 79 29


Denominación de Origen
DOC Madeira

Instituto do Vinho da Madeira
, Portugal

Tel.:

Fax:

Email:
Web:

Descripcion:

Descoberta em 1418, a Ilha da Madeira cedo começou a interessar o Infante D. Henrique que a considerou privilegiada para o plantio da vinha e da cana-de-açúcar. Assim, mandou vir da Grécia cepas "Malvasia", originárias de Napoli di Malvasia, perto de Sparta, e introduziu o seu cultivo nesta Ilha.
Nesta região microclimática, de terrenos saibrosos, de solos vulcânicos e basálticos, a vinha cultiva-se em socalcos, nas encostas soalheiras, principalmente na zona sul da Ilha da Madeira.
Existem dois procedimentos distintos de produção do Vinho da Madeira: o de Canteiro e o de Estufa. O primeiro consiste num sistema simples, em que após a fermentação, os cascos com o vinho são colocados sobre duas traves com altura de dois a três palmos do chão, procedendo-se aí aos respectivos tratamentos. Trata-se de um processo em que o envelhecimento do vinho se processa de uma forma bastante lenta. No processo de estufagem o vinho é submetido a temperaturas elevadas durante um espaço de tempo curto (45ºC durante 3 meses) conseguindo-se assim um envelhecimento mais rápido. A estufagem é considerada um método tradicional de envelhecimento do Vinho da Madeira, coexistindo actualmente ambos os sistemas, que são utilizados pela maioria das empresas.

LEGISLAÇÃO BASE
Portaria N.º 40/82, de 2 de Fevereiro, do Secretário Regional da Agricultura e Pescas, Decreto Regulamentar Regional N.º 20/85/M, de 21 de Outubro, e Portaria N.º 125/98, de 24 de Julho, do Secretário Regional de Agricultura Florestas e Pescas.
 
ÁREA GEOGRÁFICA
A área geográfica correspondente à Denominação de Origem "Madeira" abrange toda a Ilha da Madeira.

Tipos de Vinho Rendimento Máximo (hl/ha) Título Alcoométrico Volúmico Mínimo (% vol.) Estágio Mínimo Obrigatório(meses)
VLQPRD(licoroso)
   Tinto
   Branco

80
80

17 Adq.
17 Adq.

Vinho de canteiro:
só poderá ser considerado em condições de engarrafamento ou de exportação (mesmo a granel) decorridos pelo menos 36 meses após a última alcoolização.(1)

Vinho de estufagem:
Só poderá ser comercializado decorridos, pelo menos, 12 meses após a estufagem.(2)

Garrafeira ou Frasqueira(3):
20 anos em madeira e 24 meses em garrafa.

Reserva Velha, Muito Velho:
10 anos

Reserva Velho:
5 anos

Seleccionado:
36 meses

Solera4:
O engarrafamento só poderá ser feito após 5 anos em cascos; de cada um dos cascos só poderá ser retirada anualmente, no máximo, 10% do vinho existente.

1 - a contagem deste período não poderá ser iniciada antes de 1 de Janeiro do ano seguinte, quando a alcoolização tenha sido efectuada durante a fermentação.
2 - nunca antes de 31 de Outubro do 2º ano seguinte à colheita.
3 - quando o designativo for associado ao ano da colheita e o produto for obtido de castas nobres tradicionais.
4 - quando o designativo "Solera" for associado a uma data deverá ser a data de colheita do vinho base.

CASTAS RECOMENDADAS
Tintas Brancas
Bastardo, Tinta, Malvasia Cândida Roxa, Verdelho Tinto e Tinta Negra. Sercial (Esgana Cão) Malvasia Fina (Boal 1), Malvasia Cândida, Folgasão (Terrantez 1 ) e Verdelho.
1 - Apenas na rotulagem do VLQPRD Madeira.
 
CARACTERÍSTICAS ORGANOLÉPTICAS
O leque de tipos de Vinho da Madeira assenta, principalmente, nas castas nobres de que são elaborados e das quais recebem os nomes por que são colocados à disposição do consumidor. Os mais importantes são: "Sercial" - o mais seco, de cor âmbar com reflexos alaranjados, bouquet amendoado, e um firme carácter. "Verdelho" - menos seco que o anterior, de cor âmbar ou amarelo-acastanhado, com bouquet amendoado, sabor meio seco e muito equilibrado. "Boal" - meio doce, rico de aroma e sabor. "Malvasia" - muito aromático e macio e também muito doce. "Terrantez" - certamente o mais raro, tem características de transição entre o Verdelho e o Boal.




Otras denominaciones de Vino de Portugal







 


PORTADAContactoPublicidad
© Copyright Infoagro Systems, S.L.